domingo, 1 de julho de 2012

Meu 9° Livro: Infinito- O Último Livro de um Poeta Romântico


A poesia de Fábio Aiolfi me remete a um estágio de paixões, mas não em versos que idolatram a solidão, o pessimismo e as dores de amor. Descubro uma poesia com vigor, em vários momentos otimista, que tem espaço para louvar a descoberta de sentimentos que compõem nosso universo e que transita entre a amizade e o amor, e esses dois sentimentos se completam formando um corpo único, marcado pelo lirismo.
Sua poesia é seu estado de alma; alma de menino, de príncipe, de um poeta que não se admite poeta, de amante e de ser amado, e que busca ser plenitude. Um poeta que naturalmente cria imagens, sonoridades, musicalidade e consegue emocionar. Sua escrita não escorrega no lado piegas do sentimentalismo, mas quando esse chega, sabe dosar e mostrar que a poesia pode estar na jovialidade, na simplicidade, no despojamento e na agilidade de seus versos. E num contraponto, tem nuances de escritor maduro, seguro e com estrada na arte de versejar.
Neste livro, imagens e versos conversam, completam-se e seduzem, tornando-se objetos de desejo, o mesmo desejo que se apresenta em poemas que transmitem sensualismo, sem beirar a vulgaridade; que fala de fortes paixões, porém está próximo de nosso universo, está nosso cotidiano, por isso dialoga tão bem em nossa imaginação.
Que esse estado de alma prossiga, siga e eleve nosso cenário literário.
Vida longa!

Carlos Ola
Dramaturgo, Ator e Diretor Teatral.


2 comentários:

Augusto Torres disse...

Fábio fico feliz em ver que você tem se tornado um grande poeta, além de ator e diretor...sucesso sempre, você tem um belo futuro pela frente!

Joel Costadelli disse...

Parabéns Fabio, você é um jovem talentoso e um bom amigo, abraço.